Muita poeira, muito sol, muita subida, mas muitas paisagens lindas!!! Pedal das Pontes (Chapada dos Veadeiros - GO)





Fazia tempos que tinha vontade de fazer esse pedal, e com esse negócio de copa do mundo, achei uma boa ideia fugir um pouco da festança da Capital Federal pra poder pedalar na paz e no sossego da Chapada dos Veadeiros.

Pensei, vou ter uma folguinha na segunda (uma das segundas de junho, porque ia ter jogo aqui em Brasília) e seria uma boa pedalar no fim de semana. Comecei a pesquisar sobre o percurso com quem já tinha feito, pedal difícil...sair de Itiquira- GO e ir até Alto Paraíso-GO (Chapada dos Veadeiros) em dois dias...total 216km.

A ideia inicial era ir sem apoio mesmo, acho mais divertido e curto a ideia da autosuficiência em cicloviagens, mas graças ao bom pai do céu, escutei os conselhos da amiga Elza, que faria o pedal conosco. O Kerubim gostou da ideia e organizou toda logística...van do nosso amigo Chicão...pouso no povoado dos Fortes na casa da dona Dora...tudo certo era só partir pro abraço, digo, pro pedal!

Saímos de Brasília na madrugada de sábado, 4h30 pra chegar a Itiquira ainda cedo pra início do pedal. Turma reunida lá fomos nós.

Dia 01: Itiquira ao Povoado dos Fortes





Saímos de Itiquira umas 6hs30, vimos o sol nascer, ainda fazia frio, mal sabíamos o que vinha pela frente...os primeiros 40km foram tranquilos, exatamente no km 40 tem um bar que merece a parada pra tomar aquele café feito na hora e comer um delicioso pão de queijo. E  PARE, conselho de amiga, porque depois, outro bar só no km 97.



 

A estrada é plana, mas estava com as famosas costelas de boi quase que o tempo todo...quando não era isso era quase um palmo de poeira, aquela que se parece um talco na estrada. Depois do km 40, o sol começou a esquentar...e muito...somado a secura do caminho ... tava uma beleza!

  

Como tínhamos apoio não levei muita coisa comigo na bike (pra que sofrer tanto né mesmo?), mas pensava que a água que tinha (1 garrafa de 750ml completada no km 40) seria suficiente (sabe de nada inocente) pra chegar ao apoio que estaria no Km 80.

No km 80, como havíamos combinado, nada de encontrar a van, a solução foi pedir água numa das poucas casas que vimos pelo caminho. Foi a salvação pra percorrer mais 20km até a van, debaixo do sol escaldante de 13hs.




Quando cheguei no km 97 lá estava a van, foi como uma miragem ver o Chicão...rss...ele esperava em frente a uma construção que será uma  igreja e havia no local tipo uma quermesse. Os moradores do local estavam reunidos para ver a partida de futebol da copa do mundo que acontecia na quele momento.

Não sei se devido a pouca hidratação, ao sol a pino, à pouca comida que ingeri ou a todos estes fatores juntos eu tremia, mal conseguia beber água e um gatorade...mas sentei, descansei, comi bastante, nos atualizamos do placar do jogo do Brasil x Chile que estava acontecendo naquele momento, descansamos mais um pouco e seguimos. Faltavam "apenas" 50km pra chegar ao povoado dos Fortes...mas, como dizia a Elza, era mais fácil chegar à Itália do que chegar ao povoado dos Fortes...e foi exatamente isso que eu senti...


 


Foram duros 50 km....as costelas de boi na estrada deixavam o corpo esgotado, a coluna fica numa tensão que só. Vez por outra tínhamos que parar pra alongar, pra comer e hidratar...não sou de reclamar, quem me conhece sabe, mas juro, foi cansativo...

Uma tal de uma encruzilhada que estaria há 20km do povoado dos Fortes nunca chegava...quando chegamos nesse local (que você tem que prestar muita atenção e seguir pela ESQUERDA), era hora do por do sol...isso sim me deu uma injeção de ânimo...ver o sol se pondo entre os lindos paredões da Chapada foi muito lindo de se ver...não consigo ver essas coisas e não agradecer a vida, a essas oportunidades que tenho e que sou imensamente grata por elas....





O sol se foi e veio a noite chegando...farol a postos, enquanto deu fui me guiando com a luz do céu e das estrelas (muitas) ...e com a luz da lua, tímida, fininha no seu primeiro dia de crescente, mas também de uma beleza única que as minhas lentes não conseguem capturar...

Quando já não deu mais liguei o farol e segui...via ao longe as luzes (poucas) do povoado. No caminho encontrei um senhor, que ia num carro puxando com uma corda um cavalo. Ele me ofereceu carona, disse que era pra eu ir com ele pra descansar as pernas...rss..agradeci o convite mas já estava chegando...

As 18:30 cheguei. Missão do dia cumprida. Os meninos haviam chegado há umas duas horas...rss...mas todos, sem exceção, sentiram as dores do árduo caminho...

A dona Dora, que nos recebeu, é um amor de pessoa. Deixou as barracas todas prontas e nos preparou para janta um banquete!!! Comida deliciosa e carinhosamente preparada por ela. Não dava vontade de desgrudar daquela mesa.

Ao fim do dia, depois de jogarmos bastante conversa fora, ainda restou forças pra admirar um céu lindo, com tanta estrela como eu só havia visto no Pico da Bandeira - MG. E ainda fui presenteada com duas estrelas cadentes...depois de tanta coisa boa, só me restava uma noite de sono tranquila!!!(ou quase tranquila).

Digo quase porque como as barracas ficavam próximas não tinha como não escutar a orquestra de roncos que se formou...rss...brincadeiras a parte, o cansaço era tanto que nada atrapalhou minha ótima noite de sono!

Resumo:
Distancia percorrida: 150km (dados do GPS aqui)
Hospedagem: Dona Dora. Reserve com antecedência. O local é pequeno e ela tem que preparar as coisas pra receber os hóspedes com antecedência. Telefone de contato: 062-9669-5091
Dicas: Pare no bar do km 40. Hidrate bastante, principalmente se for nos meses de seca. Coma a cada 1h no máximo.



Dia 02: Povoado dos Fortes a Alto Paraíso



Acordamos cedo, organizamos as coisas e o café já estava servido. Aquela mesa gigante e farta (cheia de pães de queijo pra minha alegria) tudo preparado com muito carinho pela dona Dora.



Gente, a dona Dora é um capítulo a parte, porque ela é um amor em pessoa. Faz tudo com muito carinho e sempre recepciona esses ciclistas malucos com muito amor. O café e guloseimas estava bom demais. E ela ainda ofereceu pra eu levar uns pães de queijo pra viagem...claro que eu não podia fazer desfeita, então aceitei!!!





O segundo dia de pedal foi lindoooo (e sofrido também, claro)! Nos primeiros 20 km muita tranquilidade e nos deparamos com um delicioso rio pra refrescar. Aproveitamos até. Mas era preciso continuar, haviam ainda mais 40km de subidas.




A Elza tinha dito, mas eu não achava que era tanto. Gente, quem fizer esse pedal prepare as pernas. Depois desse ponto não tem mais nada de apoio (digo bar, casa, etc) e dale subida. A primeira delas tive que parcelar de umas dez vezes... hahaha...credo, parecia que não ia acabar nunca...

Depois dela vem uma descida deliciosa, mas aí você já sabe, desceu vai pagar em dobro. E assim vão os 40km num sobe e desce (mais sobe, claro) até chegar a Alto Paraíso. Mas as paisagens são lindas. Aqueles paredões característicos da Chapada...não tem como não ficar encantada com as belezas deste lugar...

Fui só praticamente todo percurso, os meninos estavam bemmmmm a frente e meus companheiros (Elza, Gisele e Felipe) não resistiram ao forte sol e foram na van. Foi pra mim uma prova de superação tremenda.


Apesar de todo cansaço foi muito bom chegar inteira (ou quase) a Alto Paraíso. Sensação de missão cumprida!!! Valeu a pena percorrer mais este lindo caminho na companhia dos amigos e da Branquinha.

É isso aí...










Bons pedais pessoal e até as próximas!!!

Quer saber das outras pedalADAs? Veja aqui no mapa !

Resumo:
Distancia percorrida do dia: 65 km (dados do GPS aqui e aqui
Distância total: 215 km
Dicas: Pare no rio que fica a 20km depois do povoado dos Fortes. Aproveite porque depois só sol, subida e poeira!!!


Parte 1 - Primeiros 20kms tranquilos


 Parte 2 - Só subida

Dicas Úteis:

  • Apoio com uma van: Caso queira ir com um grupo de amigos vale a pena contratar uma van que levará todo mundo até o início do pedal, fará o apoio e levará de volta pra Brasília. No nosso caso contratamos o Chicão, ele é super de boa, tem uma van adaptada para o transporte de até 11 bikes. E além de tudo ele tá acostumado a transportar ciclistas, então não tem erro.  Contato Chicão: 61-8633-1288
  • Reserva de hospedagem no povoado dos Fortes: No povoado dos Fortes faça a reserva antecipada com a Dona Dora, como dito anteriormente, se você não reservar corre o risco de ficar sem lugar para passar a noite. O povoado é bem pequeno e sem estrutura de hospedagem. Contato Dona Dora: 062-9669-5091




Comentários

  1. Nossa, Ada, você faz os melhores pedais!! Sempre quis ir pra Chapada mas saindo de SP, fica muito trabalhoso. Aqui por perto tem muito lugar legal de pedalar, mas eu não tenho muito pique pra organizar...

    Vou comprar o guia do Olinto, da Mantiqueira, que tem muita coisa importante. Quem sabe isso me dá mais ânimo de organizar pedais!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Tati,

      vc sempre muito gentil...rss...

      É que por aqui tem um povo doido que topa as minhas "roubadas" rss...

      Mas compra mesmo, tenho um guia dele da estrada real e achei ótimo!!!

      Aproveite os locais da sua região, com certeza tem muita coisa boa!!!

      Bons pedais aí!!!

      Excluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Sujou...pintou cachorro na área...o que fazer???

Documentário: "Um ano entre Kouru e Ushuaia.

Aplicativos úteis em viagens de bicicleta!