Uma PedalADA pela América - Argentina – De novo!!!!




De novo em terras argentinas, depois de descansar em Uspaillata e também em Mendoza, segui pedalando rumo a cidade de San Juan. Para chegar aí foram quase 200 km de pedal, em dois dias.

Em San Juan a Romina me recebeu em sua casa com muito carinho. Conhecer a Romi foi muito especial. E ela disse que igualmente, me receber em sua casa, pra ela foi um estímulo muito grande, já já explico tudo.

A Romina se inscreveu na rede Warmshowers há pouco tempo, creio que há uns 5 meses, desde que decidiu que ia também fazer uma longa viagem de bicicleta. Desde então tem recebido alguns ciclistas em sua casa, e cada um que passa, segundo ela, deixa um estímulo a mais.

Quando ela começou a pensar em sua viagem teria como companhia uma amiga, mas, por questões do destino a amiga ficou grávida e não poderia seguir. Romina não desistiu do sonho, mas buscava ainda por companhia porque tinha medo de seguir sozinha.

Mas, ela disse, que eu passar por sua casa, foi como que uma dose extra de estímulo, porque ela pôde ver que se pode viajar sozinha, sendo mulher, e que não é nenhum bicho de sete cabeças. Nos dias que estive aí conversamos muito muito sobre como é este mundo de viajante pra mulheres. Sim, se está sozinha, requer que tenha mais precaução e alguns cuidados extras.

Eu por exemplo, prezo sempre por minha seguridade, isso vem sempre em primeiro lugar. E por isso, as vezes a viagem se torna mais cara, porque por exemplo, se não encontro um lugar seguro pra ficar vou sim buscar uma hospedagem. Não vou passar a noite acampada em qualquer lugar, me sentindo insegura, e , por isso, as vezes a viagem sim, se torna mais cara.

Mas também conversamos sobre como é bom as vezes estar só, você sempre está mais aberta a conhecer mais pessoas, se permite ser ajudada, as pessoas se aproximam mais, tem tempo suficiente pra fazer o que deseja, sair pra pedalar, parar pra descansar na hora que quer, coisas que se passam somente se está só.

Na verdade eu e Romina nos tornamos grandes amigas e já sabia que ia ser duro o momento de despedida. Acabei ficando em sua casa um dia a mais que o previsto, pois um amigo, que conheci em El Bolson, na Argentina, ia vir me encontrar e pedalar por alguns dias comigo.

No fim de tudo, a Romina se animou, e também com um amigo, seguiu pedalando com a gente por dois dias. Foi uma experiência muito bacana. Eu estava realmente muito feliz, porque era a primeira vez que tinha tanta companhia. Saímos eu, meu amigo Carlos, Romina e seu amigo Cristian de sua casa rumo a cidade de San Expedito.




Neste caminho, passamos pela cidade de Vallecito, onde está o santuário da “Defunta Correa”, que tem muitos devotos por argentina e chile. A história da defunta é bem interessante:

"segundo a lenda, María Antonia Deolinda Correa era uma jovem mulher na década de 1840, que decidiu seguir o seu marido quando este foi recrutado para combater na guerra civil. Levando um bebé recém-nascido nos braços, Deolinda Correa seguiu o progresso do exército argentino durante algum tempo. Quando atravessou a zona desértica em torno daprovíncia de San Juan, os mantimentos e água que levava acabaram e acabou por morrer de sede e exaustão. Algum tempo depois o seu corpo foi encontrado e, para espanto dos viajantes, o bebé estava ainda vivo, supostamente graças ao leite que o corpo da sua mãe continuou a produzir, mesmo depois da morte. O evento foi considerado como milagre divino e o local foi assinalado com um pequeno altar" (fonte Wikipedia)."



Bom, tanto na Argentina quanto no Chile é comum encontrar nas estradas imagens desta "santa" e sempre muitas garrafas de água como oferenda.

Depois, conheci uma história de um ciclista que ficou sem água na estrada e um dia encontrou uma dessas imagens e pediu permissão à santa pra usar desta água pra matar sua sede. E assim o fez e conseguiu seguir até a cidade mais próxima para que pudesse se reabastecer.

Bom, deste lugar seguimos finalmente a cidade de San Expedito, onde passaríamos a noite. Neste caminho, na verdade desde a saída de Mendoza, já senti uma mudança radical na paisagem. Era o sertão mostrando sua cara. A paisagem cada vez mais seca, as casinhas já de adobe na beira da estrada, o sol cada vez mais forte durante o dia e um frio mais intenso pela noite. Características típicas de regiões desérticas e isso tenderia a aumentar a medida que seguisse a norte.




Pedalar em grupo, pela primeira vez nesta viagem, foi algo bem interessante. Um aprendizado e tanto. Aprender que quando se está em grupo tudo é mais complexo, as decisões, os horários. Tudo tem um lado bom e um lado ruim. Mas desta experiência pude ver que ter boa companhia é muito bom, o tempo passa rápido, pode ser muito divertido.

Neste dia paramos pra comer um bom tempo, assim sem pressa, também saímos pra pedalar mais tarde, tudo feito com muita tranquilidade. Igualmente chegamos na cidade já noite, coisa que eu tento não fazer se estou só... foi um dia bem divertido.




No dia seguinte, infelizmente a Romina e o Cristian iam voltar pra San Juan. Foi difícil a despedida, mas a certeza de que fiz mais uma grande amiga no caminho. Nos falamos até hoje e muito em breve a Romina estará na estrada. Ela encontrou a companhia de um amigo, uma pessoa muito querida, o Matyas, que já teve uma linda experiência de viagem pela américa do sul, em carro e que depois de conhecer a Romina e outros ciclistas que passaram por sua casa, resolveu também sair, em outra viagem, mas desta vez de bike.

Fico feliz cada vez que encontro alguma pessoa que resolve fazer algo assim, que tem coragem de romper com as formalidades que muitas vezes são impostas pela sociedade. Romina e Matyas desejo que a viagem de vocês seja muito linda e repleta de bons momentos e aprendizados e, desejo principalmente, encontrar vocês pelo caminho.

Depois das despedidas, segui com lágrimas nos olhos, em companhia do meu amigo Carlos. Ele ia seguir comigo até a cidade de La Rioja.

O Carlos também nunca tinha experimentado essa tal de cicloviagem. Ele sempre pedalou, mas nunca havia viajado de bike e desde que passei por sua casa ficou com essa pulga atrás da orelha.




Ele me perguntou se podia fazer comigo um trecho da viagem e eu disse que claro que poderia. Assim seguimos juntos pedalando por uma linda região da Argentina. Chegamos a cidade San Agustin de Valle Fértil onde descansamos por um dia e aproveitamos para ir visitar o famoso parque Ichigualasto, onde fica o Valle de La Luna da Argentina. Um lindo parque, pre-histórico, onde foram encontrados restos de dinossáuros. Lindo lindo lugar e linda experiência.




Queria também visitar o Parque Nacional Talampaya, mas este infelizmente era muito caro para visitar, e também ficava um pouco mais distante, o que inviabilizou sua visita.

Mas no caminho a La Rioja passamos ainda pelo Parque Provincial El Chifon e aí passamos uma noite acampados e aproveitamos para visitar este lindo parque, que ainda não é tão famoso como os outros.


Neste parque a visita foi realizada pelo guia Paco, uma pessoa extremamente conhecedora da região . O parque também muito antigo contem árvores fossilizadas e formações bem interessantes.

Essa região da Argentina é muito bonita, tudo que vi já deu pra sentir como seria seguindo rumo a norte. Fiquei feliz de ter tomado a decisão de voltar a Argentina para conhecer um pouco da região norte. Outra coisa que me deixou muito feliz foram as estradas, nesta parte do caminho, estradinhas tranquilas, quase que sem carros, se podia pedalar tranquilamente, admirando a paisagem, pensando na vida, vendo o entardecer e, algumas vezes, até o nascer da lua e das estrelas, sensação indescritível.



Chegando em La Rioja também fiquei um dia pra descansar e pra conhecer. Aí tomei a decisão de seguir em ônibus um pouco mais a norte. Foi uma difícil tomar essa decisão porque sabia que ia deixar de pedalar por lugares lindos da Argentina como Cafayate, Catamarca, Tafi del Valle... Mas nem sempre se pode ter tudo ao mesmo tempo.

No fundo foi bom, assim deixei uma parte bem bonita da Argentina pra visitar posteriormente!!!

Despedi do meu amigo Carlos, agradeci pelos lindos dias compartilhados, pela sua disponibilidade de sair de tão longe para vir pedalar comigo.



Segui de ônibus até a cidade de Salta e daí seguiria um pouco mais a norte da Argentina e depois novamente rumo ao Chile!!!


Mais fotos deste trecho da viagem em aqui!!!



Resumo desta parte da Viagem:



Dia 142=> Mendoza a Media Água => 122 km => Hotel beira de estradas
Dia 143=> Media Agua a San Juan => 62 km => Hospedagem Warmshowers
Dia 144 e 145 => San Juan => Descanso
Dia 146=> San Juan a San Expedito = > 110km => Camping Municipal
Dia 147=> San Expedito a Chucuma => 96km => Casa
Dia 148 => Chucuma a San Agustin => 60km => Camping La Posta
Dia 149 => San Agustin => Descanso
Dia 150 => San Agustin a El Chifon => 74km => Camping ao lado do restaurante
Dia 151 => El Chifon a Patquia => 74km => Hospedagem em casa na cidade
Dia 152 => Patquia a La Rioja => 79km => Hostel

Dia 153 e 154 => La Rioja 


Gostou da viagem, quer saber mais e principalmente fazer parte dessa ideia maluca? 

Vem aqui e veja como pode colaborar!!! :)


Quer saber das outras pedalADAs e onde estou agora? Veja aqui no mapa !

Bons pedais pessoal e até as próximas!!!


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Sujou...pintou cachorro na área...o que fazer???

Documentário: "Um ano entre Kouru e Ushuaia.

Aplicativos úteis em viagens de bicicleta!