La Paz - Ruta de La Muerte - Selva Boliviana - Lago Titicaca.... Últimos kms de Bolívia!!!!



La Paz foi uma cidade bem especial da viagem...nem tanto pela cidade, mas, como sempre, pelas pessoas...

Como disse antes, ficamos em uma casa de ciclista (aqui se pode ver a relação de todas as casas de ciclistas da América Latina). Bem, quando chegamos éramos, sei lá, uns 15 ciclistas....uma coisa de louco, quase que um dormindo em cima do outro....rssss

Mas a verdade é que formamos um grupo bem legal, tinha gente de toda parte, brasileiros (muitos), Espanha, Polônia, Bolívia, França, Estados Unidos, Colômbia...acho que não esqueci nenhuma nacionalidade...rss...

Aí conhecemos um rapaz que estava terminando sua viagem de 3 anos de bike pelo mundo...uau que situação...vê-lo desfazer as coisas e partir com sua bike em uma caixa pro aeroporto...confesso que senti um pouco do que ele sentia...um misto de alegria por tudo, pelo lindo caminho que com certeza ele fez, mas também tristeza por deixar a estrada....mas enfim, vida segue e Jeremy, um francês, voltou porque nas estradas da vida conheceu uma menina e agora, já temos notícias que está prestes a se casar...coisas lindas da estrada da vida...

Em La Paz conhecemos o Vale de La Luna, um lindo lugar que vale a pena conferir...conhecemos também as redondezas da casa de ciclistas e seus bares e bodegas pra comprar cerveja..rss..era o nosso passeio diário...comer e beber um pouco, pra celebrar os encontros e descansar da vida de ruta. E só isso já estava lindo....realmente não necessitávamos muito mais....

Chegada a La Paz...de longe já se podia ver a grande cidade!!!

Essa vista é impressionante...a cidade em meio a um vale... uma imensidão de concreto rodeada de lindas montanhas. Gratidão Kasia e Rubem pela linda companhia até aí!!!





Mas também saímos a conhecer a famosa “ruta del la muerte”, uma das estradas mais famosas pra se fazer de bike...e foi realmente lindo....a estrada é impressionante, apenas menos de 3 metros que te separa de um abismo gigante por mais de 50 km de estrada de terra.

Uma descida linda e uma mudança impressionante de temperatura e de clima, começa a descida do alto de 4.800 mts de altitude e chega a impressionantes 1500mts...saímos de um dia frio e que começava a nevar, e no mesmo dia, selva, e temperaturas quentes ...foi uma experiência linda!!!

Linda e perigosa...pelo fato de que saímos para ir fazer a Ruta de La Muerte assim como quem vai a padaria de bike. Sem comida, sem ferramentas e câmaras reservas, sem luz...me pergunto até hoje porque saímos assim. E pior, a Laís, uma menina maluquinha do Brasil, foi também...ela com a bike sem freio...na primeira curva quase que ela se estropia toda...teve 3 furos no pneu, sorte que o Felipe, outro brasileiro, estava mais preparado e pôde ajudá-la. Nós, depois de tanto pneu furado, terminamos os últimos km da temida estrada da morte em plena noite....Não façam isso por favor!!!!

Linda paisagem, ainda congelante do início da ruta de la muerte. Aí estava a mais de 4500snm!!!

Estradas que se perdem nas montanhas!



Pausa: Só mais um pneu furado da Laís...rss..

Já na selva, perto de Coroico a paisagem muda completamente!!!


Aí já na selva boliviana, seguimos de Coroico até a cidade de Mururata, onde íamos encontrar nossa turma da casa de ciclistas. O Felipe e a turma do “Balanceando” íam fazer parte de um projeto de construção de uma ecoaldeia voltada para artistas aí na cidade de Mururata e nos convidaram a fazer parte do projeto.

Assim seguimos e fomos ajudá-los. Foi de novo uma subidinha boa até Mururata, mas subida na selva, com direito a banho de rio e sol e montanhas que pareciam as de Minas Gerais.




As pessoas de Mururata são uns amores, nos trataram super bem. Nos deixaram dormir por alguns dias na sede do centro comunitário da cidade e depois fomos pro local onde seria a ecoaldeia e ficamos acampados aí por mais alguns dias ajudando no que era preciso.

Mururata ainda é bem interessante porque é uma cidadezinha que tem rei e rainha. Acreditem, é verdade!!! Pra tudo que se vai fazer antes tem que pedir permissão aos reis. Acontece que nessa cidade a maioria das pessoas são de origem africana, os antepassados eram escravos trazidos da áfrica e, reza a lenda, que um desses que vieram era um rei (entre eles, os escravos, na África) e então eles mantiveram a tradição e foram passando de geração em geração esse reinado...e perdura até hoje. Aí inclusive fomos visitar os túmulos dos antigos reis...É realmente um povoado muito interessante e diferente das outras partes da Bolívia pelas quais passamos.

A verdade é que mais descansamos que trabalhamos em Mururata...era banho de cachoeira, caminhada na montanha, conversa na frente das vendinhas, comilança, noite estrelada...enfim...dias muito tranquilos e cercados das melhores companhias.

Moisés nos explicando a história dos reis...

E então, o que fazer? Parar na vendinha...conversar e comer algo!!


Túmulo dos antigos reis!

Moisés em uma das bikes...


Aí participamos de algo bem interessante. O dono do terreno onde estávamos “ajudando” era um líder comunitário e em um dia havia uma reunião com ele. Todos os campesinos chegaram e foram se agrupando. Quando o dono do terreno chegou se reuniram e discutiram todas os assuntos que tinham pendentes. Depois cada campesino sacou uma comida, feita por eles, e se formou um grande piquenique, na verdade um grande almoço comunitário. Todos se serviam, bom, comiam com as mãos. Na verdade é assim, porque aí não tem desperdício...se come o que suas mãos podem alcançar. Na verdade se compartilha com todos e sempre sobra comida. Essa é uma tradição boliviana e se chama Uptapi. Foi uma linda experiência e aprendizado.




experiências como esta de Mururata me fazem pensar que as vezes um ano é tão pouco....É bom seguir viagem, dar tempo a si...aprender coisas....conhecer gente...se amar e ser amada...ser simples...ser feliz”!!!


Mas era hora de partir...voltamos então a La Paz (dessa vez nada de pedalar, voltamos todos num caminhão....era gente, bike, e carga pra tudo que é lado)....




Mais alguns dias em La Paz e então seguimos em direção ao Lago Titicaca... A saída de La Paz dura...uma longa subida para se chegar ao El Alto (uma outra cidade, mas que está assim, pertinho de La Paz). Saímos de La Paz em 7 cicloturistas....foi lindo... mas em El Alto o Carlos (Colombiano ) e o Hypo (Francês) se despediram e seguiram caminhos distintos rumo ao sul. Depois de tantos dias juntos foi dura a despedida....sempre é afinal!

Prontos pra partida Hippo (França), Kasia (Polonia), Carlos (Colombia) Euzita (Brasil), Cris (Brasil), Antoni (Espanha) e Rubem (Espanha).


Foram bons dias de convívio, 10 bons dias, mas sempre é hora de despedir.
Dez dias em La Paz e Mururata, dias de compartir tudo. Uma casa cheia de almas felizes de toda parte. Uma experiência muito especial na viagem”.

Seguimos então eu, Kassia (Polônia), Ruben (Espanha), Cris (Brasil), Antoni (Espanha), rumo a Copacabana e suas famosas ilhas do Lago Titicaca, o lago mais alto do mundo (3.800 mts acima do nível do mar).




Foi a primeira vez que pedalei com tanta gente...e foi uma experiência muito linda. É extremamente diferente de pedalar sozinho, mas é realmente muito gratificante...se pedala menos kms por dia, é verdade, mas acho que se aproveita mais os lugares também.

O caminho até Copacabana é lindo....sempre bordeando o Lago Titicaca, um lago que mais se parece ao mar de tão grande que é.

Em Copacabana ficamos uma noite e já no dia seguinte fomos a Isla del Sol. E que linda ilha. Dormimos acampados na praia, ganhamos de presente lindos dias e lindas (muito lindas) noites de lua cheia. Foi de novo divino. Dias de ficar sem fazer nada, pensar em nada, só admirando a linda paisagem que aparecia da portinha da nossa barraca.




Isla del Sol


Nossas casas...


Esse branauqinho no fundo? Sim! São montanhas!!!!

Lago Titicaca - Isla del Sol



Aí, por coincidência encontramos de novo parte da turma de La Paz, e então a diversão foi perfeita.

Os últimos quilômetros de Bolívia foram realmente um presente nesta viagem...presente pelas pessoas, paisagens e experiências.

A Bolívia foi um lindo país, paisagens, cultura e pessoas muito diferentes do que eu havia conhecido até então. Neste um mês e meio por aqui aprendi a superar ainda mais meus limites com o frio e altitudes, passei pelo lugar mais excepcional até então (salar de Uyuni), tive a alegria de encontrar e compartir dias com tantos cicloviajantes, que realmente foi uma experiência única.

Só tenho o peito cheio de gratidão por tudo que vivi neste lindo país...sei que deixei ainda muito por conhecer...por isso, fica a certeza também de que um dia volto, linda Bolívia...me espera que volto!!!!


Resumo desta parte da Viagem:

Dia 210 a 212 – La Paz => Casa de Ciclistas
Dia 213 – Ruta del La Muerte hasta Yolosita => 115km => Hospedagem Policia
Dia 214 – Yolosita a Mururata – 35km => Centro comunitário Mururata
Dia 215 e 216 – Mururata
Dia 217 – Mururata a La Paz – 35km => Casa de Ciclistas
Dia 218 – La Paz
Dia 219 – La Paz a Paococo – 48km => Escola
Dia 220 – Paococo a San Pedro – 66km => Escola
Dia 221 – San Pedro a Copacabana – 40km => Hostal Osla del Titicaca
Dia 222 – Copacabana a Isla del Sol => Camping Praia
Dia 223 – Isla del Sol
Dia 224 – Isla del Sol – Copacabana – Yunguyo (Peru) – 12km => Igreja Evangélica

Gostou da viagem, quer saber mais e principalmente fazer parte dessa ideia maluca? 

Vem aqui e veja como pode colaborar!!! :)


Quer saber das outras pedalADAs e onde estou agora? Veja aqui no mapa !


Bons pedais pessoal e até as próximas!!!



Mais algumas fotos deste trecho da viagem e também aqui no Face!!!




Ruta del la muerte

Ruta del la muerte

Ruta del la muerte - Dale Laís....

Ruta del la muerte

Ruta del la muerte


Ruta del la muerte

Ruta del la muerte Só mais um pneu furado...

Meninos indo pra Mururata de caminhão enquanto a gente seguia de bike pela Ruta de La Muerte!

Ruta del la muerte

Nosso ponto de parada sempre...


A história dos reis de Mururata

Moisés nosso guia a caminhos dos túmulos dos reis...


Pausa para o almoço

Lindo Felipe encantando as crianças

Los tres amigos ...Carlos Hippo y Sunny

Nossas casas...

A descoberta do ano...super sanduiche de ciclista...pão com banana!!!!

Somente o que precisamos....Mais Paz!!!

Companheiros da Casa de Ciclistas de La Paz - Hippo

Companheiros da Casa de Ciclistas de La Paz - Carlos

Companheiros da Casa de Ciclistas de La Paz - Cris, nossa xamã

Companheiros da Casa de Ciclistas de La Paz - Antoni , nosso chef!

Companheiros da Casa de Ciclistas de La Paz - Ruben , o contador de histórias...rss

Companheiros da Casa de Ciclistas de La Paz - Lucas, aquele que resolveu botar a mochila na bike e fazer uma viagem diferente.

Companheiros da Casa de Ciclistas de La Paz - Euzinha...essa louca que largou o trabalho e a vida normal e resolveu sair por aí pedalando...

Uma casa real pra dar energia pro caminho...#sqn


Parece pintura, mas é verdade....ao fundo a montanha mais alta da Bolivia WaynaPotosi

Saias e cores bolivianas



Que tal deixar as bikes e ir de barco? 



Descanso às margens do Titicaca


Dale Kasinha!!!

Depois de tanto pedalar e depois de tantos dias sem uma caminha confortável...tudo que necessitávamos...cama e banho quente...

A caminho de La Isla del Sol...Lago Titicaca





Por do sol...

...e nascer de lua no mesmo dia! Simplesmente lindo!!!

Bom dia comunidade






Dúvida do dia: comer pão com pão ou pão com manteiga? rsss

No barco de volta a Copacabana...pra passar o tempo um carteado...

Feliz com os últimos km de Bolivia...lindos caminhos essa vida me dá de presente todos os dias!!!

Gratidão amigos pela companhia sempre!!!!




Comentários

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Sujou...pintou cachorro na área...o que fazer???

Documentário: "Um ano entre Kouru e Ushuaia.

Aplicativos úteis em viagens de bicicleta!