Uma PedalADA pela América - Peru - E que tal uma ida ali na selva?




E agora o sexto país a ser desbravado e na companhia de lindas pessoas!!!! Felicidade imensa de chegar ao Peru e felicidade maior foi de passar dias tão lindos na Bolívia!!!!


Depois de um mês e meio na Bolívia finalmente adentramos ao Peru. Inicialmente não tinha muita diferença em relação à Bolívia. As pessoas e os costumes eram bem parecidos, pelo menos nesta parte inicial.


Primeira comidinha peruana. O prato super bem servido e a comida bem boa e barata.

Kassia e Rubem. Amigos companheiros de estrada.

Na nossa primeira noite dormimos em uma igreja evangélica e dessa vez não teve como escapar do culto, era domingo e o pastor praticamente nos intimou a participar. Difícil foi manter a concentração com estes 3 ao meu lado...com todo respeito do mundo, era rizada que não acabava mais.

Mas passamos super bem e dia seguinte seguimos estrada. Estávamos certos de que íamos à Cusco, mas neste dia encontramos um outro ciclista que vinha em sentido contrário e ele nos disse que valia muito a pena conhecer um pouco da selva, que era uma descida incrível e que era muito bonita a cidade de Puerto Maldonado.

Achamos a ideia boa, então resolvemos que sim, antes de Cuzco íamos entrar a direita e seguir para a selva. Finalmente eu ia sentir calor depois de tantos meses de inverno duro.

E assim foi, mas antes de chegar à selva passamos por lugares bem bonitos. O lago Titicaca ainda nos fazia companhia. Passamos pela famosa cidade de Puno, onde há uma ilha feita de tora-tora, um tipo de palha.



Lago Titicaca , nossa linda companhia.








Depois seguimos à cidade de Juliaca. Aí de novo ficamos em uma casa de ciclistas. Aqui você pode ver a relação de todas as casa da América Latina. Bom, aí foi diversão completa. Uma casa de ciclistas é o melhor lugar pra encontrar outros viajantes. Aí encontramos o Justin, um artista incrível que vinha pedalando desde o México, reencontramos a Cris (brasileira) e conhecemos o Rogério, outro brasileiro que vinha pedalando desde o Uruguai.

A verdade é que aí nosso grupo cresceu, o Rogério se juntou a nossa trupe e saímos da casa em 6, eu, Kasia (polonia), Ruben (Espenha), Antoni (Espanha), Cris (Brasil) e Rogério (Brasil). Era o Brasil dominando a turma das pedaladas.

Isso é uma casa de ciclistas!!!

A linda bici do Justin!


Despedida...Gracias por todo Guiovani!!!
Rogério, Ruben, Kassia, Antoni, Guiovani, Eu, Justin, Cris!!!!

Pedalar assim em um grupo tão grande é sempre muito divertido, mas também complicado. As decisões se tornam cada vez mais dificéis. Mas seguimos firmes e juntos.



Tivemos uma experiência bem interessante na cidade de Pukará. Íamos apenas passar por esta cidade, paramos apenas para almoçar e seguir. Mas, quando estávamos saíndo, com aquelas ganas de pedalar, o tempo fechou feio e então, sem pensar duas vezes resolvemos ficar.

Bom, o tempo nem fechou tanto assim, foi mesmo mais uma desculpa pra não seguir naquela tarde de sábado. Fomos então à praça principal da cidade e chegando aí havia um casamento bem a moda peruana. Nos convidaram pro casório, disseram que era só levar um presente pros noivos ou dar algum dinheiro.

Juntamos então uma grande quantia em dinheiro (uns 30 reais..rss..) e entramos na maior cara dura no casório. E foi a festa mais divertida dos últimos tempos. Tiramos fotos com os noivos, dançamos com as cholitas, bebemos muito (o presente mais comum no casamento são grades de cerveja) e nos divertimos muito a moda peruana. No final éramos a atração da festa. Foi de verdade uma noite e tanto. Detalhe, que ai no casamento a gente seguia com os nossos trajes de ciclista. Rsss


Antes...

Durante...sim eu fui capaz de ir a um casamento com a minha jaqueta laranja!!! hahaha

Com os noivos!!! Cara de pau total!!!


No dia seguinte aí sim foi difícil pedalar...a ressaca coletiva era brava, seguimos apenas 30 km mais e paramos numa linda cidadezinha, onde umas freiras nos receberam muito bem, tão bem que ficamos aí mais um dia descansando e aproveitando que era festa da cidade.





Uai sô, até parecem mineiros!!!


Finalmente resolvemos pedalar de verdade....seguimos estrada, mas....alguns quilômetros à frente paramos em umas deliciosas águas termais onde dormimos. Foi a primeira vez que fui em uma termas e ver a água saindo assim quentinha da terra é incrível. Essas termas tinham um visual incrívelmente lindo, piscinas em meio a lindas montanhas.


Um dia importante, foi completar 8 meses de viagem e 9000kms. E melhor ainda na companhia de pessoas tão especiais:


E foi como se fosse ontem que saí de Brasília e depois de Minas e logo em seguida de Floripa...mas já se passaram 8 meses e neste tempo 9000 km de estradas percorridas, de países lindos e diversos, de paisagens e de gente muito especial que encontrei no caminho.
A vida tem sido generosa comigo e, depois de muito tempo pedalando sozinha, agora tenho a companhia de pessoas lindas e loucas..rss...
Neste dia pedalavamos em 5... “Los gringuitos” com Kasia (Polonia), Rubén (Espanha), Antoni (Espanha), Rogério (Brasil) e Cris ( Brasil)... 

Faltou Cris na foto, mas ela tá com a gente sempre, nem em pensamento a deixamos em paz..rss.....volta logo nossa Xamã e cantora principal...rss...

Bom, na foto, estão como podem perceber, fazendo um 9000...rss... ficou quase perfeito!!!
Obrigada galerinha pelos lindos dias que compartimosna mais perfeita (ou quase) harmonia!!!


Depois dessa vida boa seguimos estrada. Descobrimos que antes da descida incrível que teríamos rumo a selva, teríamos que fazer uma subidona...simplesmente chegar a mais de 4700mtsanm. A maior altitude pedalada para todos do grupo.

Pena que no meio do caminho, o grupo que era grande e lindo se desfez...a Cris por motivos pessoais ficou cidades antes pra se recuperar de uma diarréia e pra encontrar um amigo. E o Ruben e o Rogério tiveram uma pequena desavença e resolveram por este motivo cada um seguir o seu rumo.

Depois dessa briga eu senti que minha viagem com o casal Rubem e Kasia também já estava na hora do fim...as vezes é complicado viajar com casal e eu já viajava com eles há 2 meses. Optei por seguir então com os meninos Rogério e Antoni e assim fiz.

Mas, no meu caso foi uma decisão bem pacífica. Expliquei ao casal que ia com os meninos e assim fizemos. Tudo numa boa. Foi de novo uma readaptação a rotina dos meninos, mas me senti bem pedalando com eles. A vida cicloviajante é assim...os companheiros também vão e vem...E são duras as despedidas, mas como sempre elas fazem parte da vida...e da nossa vida enquanto viajante muito mais ainda. Praticamente todos os dias temos que lidar com as despedidas...e até hoje não aprendo.

Antes de desfeito o grupo...


Seguimos então rumo a grande subida...foram dois dias pra chegar aos 4700mts de altitude. Uma dura e linda subida. Uma paisagem incrível e uma sensação de bem estrar e de vitoria por chegar tão alto também igualmente incrível.

Só assim mesmo pra ter forças pra terminar a subida!!! Gracias pela força Antoni!!!

No Peru as paisagens parecem pinturas...

Deu pra entender ou quer que desenhe?


Acho que nunca vou esquecer estas paisagens. Primeiro enquanto subíamos frio, pampa, llamas e vicuñas por toda parte. Picos nevados ao fundo. Frio, muito frio. Um pouco de chuva. Lindas pessoas do campo na estrada desejando boa viagem e perguntando pra onde ia....

Força, garra e beleza do povo peruano.

Construções de adobe. Eles sim sabem o que fazem.


Amigos, felicidade imensa compartilhar dias tão lindos com vocês!!!



Eles sempre láaaaaa adiante,....hahaha




Lindas mulheres do caminho.








E quando você pensa que já subiu tudo que tinha que subir na vida, vem uma montanha nova e te desafia...valeu o desafio... depois de subir essa bendita montanha ganhamos um lindo presente...uma descida espetacular!!!! Muito mais que em "la ruta de la muerte" na Bolivia... de 4700 agora estamos a 200 metros acima do nivel do mar....de montanhas nevadas e frio de menos alguns graus, agora estamos na selva peruana e com temperaturas escaldantes de 37 graus com sensação térmica de muito mais....e isso aqui, do ladinho do Brasil na fronteira com o Acre... assim seguimos pedalando por nuestra linda América!!! 

Depois a linda descida e em poucos quilômetros uma mudança incrivelmente linda na vegetação. A floresta toma conta...as árvores, altas e lindas por toda parte. O canto dos pássaros. Frutas pela estrada e finalmente o calor....e sim estávamos em meio a selva e à floresta amazônica.







Mas já quase chegando em Puerto Maldonado o calor é tão forte que a vontade era de cortar minhas calças. Impossível pedalar de calça comprida e manga longa por aqui.

O visual dessa estrada é realmente lindoooo. Vai deixar saudades e fiquei com a sensação de que realmente valeu muito a pena todo esforço da grande subida. Essa estrada, apesar de ser uma estrada internacional, chamada de interoceânica por ligar atlântico e pacífico não tem muito movimento não.

Casas... a gente dorme como pode...




(o dia que ficamos presos na igreja...rss)

Entendeu né?



Alegria de chegar e ver tanto da minha cor preferida...ainda que já existe bem menos do que deveria!!!!

Adorooo...companheiras de pedal...



Em Puerto Maldonado fomos recebidos lindamente pela Helen, uma linda menina peruana que vive ajudando os viajantes. Aí conhecemos um pouco da vida noturna de Puerto e também da cultura local. Da selva mesmo não conhecemos muito, porque os passeios que adentravam selva tinham que ser feitos com guias e tinham preços pra turistas europeus....então nada de selva, mas igualmente valeu a pena porque ficando na casa da Helen conhecemos muito da cultura local, da vida noturna...rss... Isso sempre é o melhor de ficar na casa de moradores locais. Agradeço imensamente a Helen por nos receber com tanto carinho. Espero ver-la de novo ...quem sabe pelo nosso lindo Brasil.

Alguém pode falar comigo??? hahaha 

Helen querida...que dias divertidos passamos contigo!!!




Aproveitei que estava tão perto da fronteira com o Brasil e aproveitei pra ir matar saudade da nossa terrinha...fomos de carona até a cidade de Assis Brasil, no Acre. Ai que lindo escutar tudo em português de novo. Comemos um bom PF com direito a arroz e feijão. Comprei bastante rapadura, paçoquinha e guaraná antártica. Ai que delícia as coisas tão simples e que não damos valor as vezes né?



Aproveitei pra ligar la pra casa de um orellhão. Ai que emoçao escutar meu sobrinho menor no telefone. Disse a ele que estava no Brasil e ele me perguntou se eu já estava chegando em casa. O coração quase partiu nesse momento.

Depois desses dias tão divertidos seguimos de novo e finalmente rumo a Cuzco. Mas não íamos encarar de novo a dura subida até os 4700mtsanm. Rss... então pegamos uma caroninha e chegamos finalmente a Cuzco.

Essa cidade nos encantou e também nos prendeu de tal forma...tem muita coisa por conhecer, mas estes detahes conto no próximo post e desta vez prometo não demorar tanto!!!!

Resumo desta parte da Viagem:

Dia 225 => Yunguyo – Ilave => Igreja
Dia 226 => Ilave – Puno => Escola
Dia 227 => Puno – Juliaca => Casa de Ciclista
Dia 228 => Juliaca => Casa de Ciclista
Dia 229 => Juliaca – Calapuja => Associação de Artesanos
Dia 230 => Calapuja a Pukara => Paradero de Turismo
Dia 231 => Pukara a Yaviri => Abrigo das Irmãs Salesianas
Dia 232 =>Yaviri => Abrigo das Irmãs Salesianas
Dia 233 =>Yaviri a La Raya => Pavilhão da casa de estudantes
Dia 234 =>La Raya a Sicuani => Albergue dos Campesinos
Dia 235 =>Sicuani a Cusipata=> Escola
Dia 236 => Cusipata a Ccatcca => => Hospedaria Virgem
Dia 237 => Ccatcca => Hospedaria Virgem
Dia 238 => Ccatcca a Tinkiv(grupo desfeito) => Hospedaje
Dia 239 => Tinki a San Miguel (subida até 4700 km) => Escola
Dia 240 => San Miguel a Mazuco => Igreja
Dia 241 => Mazuco a Alto Libertad => => Campig – Gasolinera
Dia 242 => Alto Libertad – Km 14 Puerto Maldonado => Camping
Dia 243 => Km 14 a Puerto Maldonado => Couchsurfing
Dia 244 => Puerto Maldonado => Couchsurfing
Dia 245 => Puerto Maldonado => Couchsurfing
Dia 246 => Puerto Maldonado Fronteira Brasil => Couchsurfing
Hostal Estrellita
Dia 247 => Puerto Maldonado – Cuzco => Hostal Estrellita




Gostou da viagem, quer saber mais e principalmente fazer parte dessa ideia maluca? 

Vem aqui e veja como pode colaborar!!! :)


Quer saber das outras pedalADAs e onde estou agora? Veja aqui no mapa !


Bons pedais pessoal e até as próximas!!!



Mais algumas fotos deste trecho da viagem e também aqui no Face!!!


Comentários

  1. Como foi essa situação de quase morte amiga Ada? Soraya

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amiga,
      contei aqui nesse último podcast http://www.extremos.com.br/cicloviagem/2015/ada_cordeiro/ e nessa foto conto também ( https://www.facebook.com/umapedaladapelaamerica/photos/a.1716105135329150.1073741848.1564339100505755/1726632137609783/?type=3&theater )

      Mas no fim deu tudo certo amiga...estou bem e ainda tenho 6 vidas mais...rss...

      Beijo grande!!!!

      Excluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Sujou...pintou cachorro na área...o que fazer???

Documentário: "Um ano entre Kouru e Ushuaia.

Aplicativos úteis em viagens de bicicleta!