Caminho de Santiago - O meio




Escrever sobre a viagem em si vai ser a parte mais difícil ..pensei em escrever sobre cada dia, mas confesso que daria um livro...rss..
Foram muitas vivências durante esta viagem...Nem que eu quisesse conseguiria descrever tudo que vivi e principalmente tudo que senti nestes dias. Não conseguiria imaginar que as emoções seriam tal como foram, tão intensas.
Então, optei por tentar ser objetiva, relatar como foi meu roteiro, meu percurso, dar dicas práticas mesmo...a intenção é ajudar quem tá pensando em fazer o mesmo. A parte das emoções, dos relatos mais subjetivo, conto pessoalmente pra quem quiser saber mais!!!

Antes de tudo, queria dar uma dica, acho que todo mundo que vai fazer o caminho lê os livros do Paulo Coelho que falam do caminho, acho que o mais famoso é o Diário de um Mago, aliás, Paulo Coelho é muito famoso por lá, ou então vê um filme, que também é bem famoso chama "The Way" .

Eu só vi o filme, e foi tipo uma semana antes de viajar. Foi muito bom ter visto o filme, porque pude perceber a importância desse caminho na vida das pessoas que optam por fazê-lo e também compreendi a grandiosidade da coisa em si.

Uma frase do filme que me deixou intrigada diz: " Ninguém escolhe fazer o caminho por acaso". Até então eu estava indo meio que por acaso pra esta viagem, mas comecei a pensar que realmente podia existir  um motivo maior pra tudo isso, que eu realmente fui compreender somente quando terminei a viagem, que fugiu aos planos iniciais e findou-se em Porto-Portugal.

Bom, vamos ao que interessa:

  • Logística de Ida da Ada (editado a pedidos...rss..):

Comprei a passagem pela empresa Iberia. pesquisei sobre o transporte da bike e vi que não teria problemas em transportá-la por esta empresa. Meus voos de ida foram: Brasilia = > São Paulo => Madri = > Pamplona. Embarquei a bike em Brasília e só me preocupei em restituí-la em Pamplona.

De Pamplona a San Jean Pied de Port (SJPP) fui de taxi. Consegui recomendação de um ótimo taxista com o pessoal do fórum Clube do Cicloturismo do Brasil. O nome dele é  Juan Gonzales e o telefone +34689800152.
O preço é salgado 90 euros. Mas, o horário do meu voo não permitia que eu fosse de ônibus, também existe essa possibilidade, então resolvi ir de taxi mesmo. O bom foi que no aeroporto de Pamplona consegui uma outra pessoa pra dividir o taxi, uma outra brasileira que ia fazer o caminho a pé.

  • SJPP


O único albergue que fiz reserva foi o de SJPP, e ainda bem que fiz, porque quando chegamos os albergues estavam cheios. A amiga brasileira teve que andar um pouco pra encontrar lugar. Mas com a ajuda do Juan não foi tão difícil.

Fiquei no Aubergue du Pelegrin, por indicação da Camila Guido do blog Pensamentos Inadequados.

Gostei do albergue. Inicialmente tive a impressão que era um regime meio militar, porque tem horário pra tudo, mas depois fui descobrir que isso é meio que normal nos albergues do caminho.

Fiquei lá por 2 dias, cheguei no domingo a tarde e optei por começar a pedalar apenas na terça-feira. Foi uma decisão ótima, porque quando cheguei vi que minha bicicleta estava faltando uma blocagem da roda da frente (sempre embalo a bike, mas desta vez caí na besteira de mandar numa loja de bicicletas pra eles encaixotarem...resumo da história...passei raiva). 

Então foi ótimo porque aproveitei a segunda pra descansar, conhecer a cidade (que é linda) e ir numa loja de bike. De quebra, conheci outros cicloturistas neste dia também. 



  • O CAMINHO...ROTEIRO...PARADAS...


Vou então falar de como foi o caminho em si...o roteiro que planejei inicialmente não foi o que cumpri de fato. Ocorreram algumas pequenas alterações, poucas...abaixo então como ficou a rota final da minha viagem.

Mas antes disso um detalhe, inicialmente pensava em fazer apenas o "Caminho Francês" de bicicleta, saindo de SJPP até Santiago, mas depois pensei...tenho tempo, porque não ir até Porto pedalando também? Então ampliei a viagem em alguns kms... de Santiago cheguei a Finisterre para concluir de fato o caminho...e depois segui boa parte pela costa até Porto...foi uma ótima decisão, pois a viagem se tornou muito mais especial fazendo todo este percurso.

Outro detalhe...fiz todo Caminho, inclusive de Santiago a Finisterre, por trilha...muitos ciclistas optam em fazer pelas "carreteras" mas, mesmo sabendo da dificuldade, preferi a trilha, também pela beleza do trajeto incomparável.

Uma dica: se pensa em fazer o caminho pela trilha, escolha uma época menos movimentada. No mês de julho acho que o caminho deve ser bem cheio de peregrinos, então fazer o percurso por trilha nesta época é complicado. Acho que final de agosto e setembro devem ser as melhores épocas.

  • 1º Dia: SJPP a Pamplona


Este dia eu já esperava que seria difícil  mas foi bem mais difícil do que eu imaginava...pra começar saí de baixo de uma chuva...a subida pros Pirineus foi tensa...a parte asfaltada ainda dava pra pedalar, mas depois quando chegava a parte de trilha...aí sim era calçar a sandália da humildade e empurrar a bicicleta...sem medo de ser feliz!!! Chuva, frio, nenhum ciclista por perto (pelo menos nos Pirineus), sensação de quase morrer congelada, um pouco de medo, mas feliz demais por estar começando essa aventura e mais ainda, por estar num lugar, mesmo com as condições adversas...tão belo!

Neste dia havia planejado de ir até  Zubiri apenas, mas no caminho conheci um grupo de ciclistas colombianos que acabaram me convencendo de seguir um pouco adiante...

Resumo do dia:
Distância Percorrida: 66 km (de muita dificuldade) 
Hospedagem: Albergue Xarma Hostel . Adorei a hospitalidade e simpatia do Pedro.
Um dos melhores albergues do caminho. Café da manhã bem gostoso!!!
Detalhes do percurso:

http://connect.garmin.com/activity/378150284 
http://connect.garmin.com/activity/378150658 




 Duro início do caminho!




Amigos colombianos e o Pedro do Xarma Hostel

  • 2º Dia: Pamplona a Los Arcos


Um dia também com subidas e descidas bem técnicas  principalmente pra chegar no alto dos perdões... depois, descendo essa montanha...até nos alertaram para não ir pelo "caminho" mas preferimos seguir assim mesmo. Era uma descida muito técnica, mas como sempre, a paisagem compensa toda dificuldade!!!

A paisagem linda como sempre. E o tempo melhorou...não choveu!!!

Só um comentário, a noite quando saímos pra jantar (neste dia encontrei dois brasileiros ciclistas também) conhecemos uma linda senhora...uma pessoa muito especial. A senhora Natália nos deu um banho de vida. Baiana, vive na Itália, 70 anos. Isso mesmo. Resolveu se presentear com essa linda viagem. Estava fazendo o caminho a pé e sozinha.

Você, que fica reclamando da vida, pensando que tá velho pra tentar fazer o que gosta, que tal rever seus conceitos??!!! Idade é uma questão de cabeça...e a Natália nos passou muita vitalidade e alegria. Muito bom tê-la conhecido.


Resumo do dia:
Distância Percorrida: 67 km 
Hospedagem: Albergue Casa de Áustria
Detalhes do percurso: 
http://connect.garmin.com/activity/378150968






A linda Natália pelo caminho

  • 3º Dia: Los Arcos a Santo Domingo de La Calzada


Este dia pedalei sozinha, nos outros dois tive a companhia do José, amigo colombiano. Mas foi muito bom pedalar sozinha...cantei, dancei em cima da bicicleta, refleti sobre a vida, chorei (de alegria por estar alí)...!!!

Um parentesis, passamos por pueblos que muitas vezes parecem cidades fantasmas...nem uma alma viva nas ruas e nas casas. Muito estranho isso....mas neste dia, a noite, fomos surpreendidos com uma festa típica em Santo Domingo. Uma multidão na praça, uma fila enorme pra comer pão com chouriço e pra tomar vinho...e além disso tudo muita música típica. Bem divertido.

Outro detalhe, a noite tinha uma lua das mais bonitas que já vi...tentei registrar o momento em foto, mas era muito mais bonito que a imagem que vocês podem ver!!!

Resumo do dia: 
Distância Percorrida: 82 km
Hospedagem: Albergue Casa del Santo. Muito bom o albergue!!! Grande, organizado e bem localizado!
Detalhes do percurso:
http://connect.garmin.com/activity/378161409
http://connect.garmin.com/activity/378160822

 "Não é sempre necessário ser forte, mas sentir-se forte."
(Alexander Supertramp)

Alguns tirando uma soneca pelo caminho...

Placa motivacional..uhuu faltam só 582km!!!

  
Uma noite muito linda!

  • 4º Dia: Santo Domingo de La Calzada a Burgos


Novamente segui com um dos colombianos, neste dia, os outros tentaram ir pela trilha, massss ... desistiram pouco depois que começamos a pedalar e foram pela "carretera". Seguimos eu e José pelo caminho...um dia bom, paisagens bonitas...montanhas, pedras, empurra  empurra...tudo como tinha que ser!!

Em Burgos, chegamos e não encontramos vaga albergue tivemos que ir dormir num camping (ficamos num quarto coletivo) afastado uns 3 km da cidade. Mas o lugar bem bonito compensou a distância!!!

Dica: nas cidades maiores, como Burgos, acho que vale a pena reservar albergue no dia anterior!!!

Resumo do dia: 
Distância Percorrida: 73 km
Detalhes do percurso:
http://connect.garmin.com/activity/386813553










  • 5º Dia: Burgos a Carrion de Los Condes


Este dia seria longo...mas bem plano...saí cedo...antes dos meus amigos, tinha passado mal a noite. Dormi muito mal, um quarto abafado, umas 20 pessoas, quente, e eu na noite anterior comi uma lasanha extremamente apimentada, e em função disso tudo, tive uma noite mau dormida...acordei bem cedo, tomei café, arrumei as coisas, tomei um soro caseiro e parti...combinei com José de ele me achar pelo caminho, como de fato aconteceu.

Depois de alguns kms pedalados me senti melhor...o dia lindo e as paisagens também encantadoras...hoje eu e Milton Nascimento cantarolamos durante boa parte do caminho...ainda bem que as pessoas por aqui não pensavam que eu era doida....deve ser comum encontrar um ser como eu pelo caminho...rss...

Em Carrion, de novo, sem vaga em albergue...conseguimos uma senhora que nos alugou um ótimo apartamento, cobrando por pessoa o preço do albergue...e eu tive uma noite de princesa...um quarto, com cama de casal só pra mim!!!! Vantagem de ser a única mulher do grupo...rss...como dormi bem este dia!!! 

Resumo do dia: 
Distância Percorrida: 91 km
Hospedagem: Casa da Tia Paula
Detalhes do percurso:
http://connect.garmin.com/activity/386813738







  • 6º Dia: Carrion de Los Condes a Villarente

Este dia também seria longo e plano...as paisagens nesta parte 'Castilla e Leon" são meio monótonas... hoje seguimos eu, José e o Pedro...

Foi um dia pra tomar uma decisão difícil...resolvi me separar dos amigos colombianos. Não que eu não gostava deles, mas era que estava fazendo a viagem deles e deixando a minha de lado...Inicialmente ia dormir em Leon, mas resolvi ficar uma cidade antes, pra me "separar" dos meus amigos...

Precisava seguir só, precisava conhecer outras pessoas, trocar experiencias, passar por dificuldades sozinha...foi dificil, despedir foi dificil. Me apego um tanto às pessoas e eles eram pessoas especiais pra mim...foram dias ótimos, mas precisava seguir o meu caminho...

Villarente não tem nada, mas o albergue era muito bom!!!! No albergue conheci, acho que o peregrino mais jovem do caminho. Um espanhol que seguia a pé e só, nos seu 17 anos...É uma raridade, a maioria dos peregrinos são pessoas já mais velhas.
Resumo do dia: 
Distância Percorrida: 84 km
Hospedagem:  Albergue San Pelayo 
Detalhes do percurso:
http://connect.garmin.com/activity/386813999




  • 7º Dia: Villarente a Molinaseca

Ui, este dia pedalei...como pedalei...me empolguei que tava sozinha...no caminho encontrei vários amigos, alguns dos colombianos, uns portugueses e os espanhóis que havia conhecido na noite anterior. Mas, só os encontrei, porque pedalei sozinha todo dia. 

Hoje conheci um Sr. muito especial também, um  alemão, Léo...não sei quantos anos ele tem, mas já era um senhor. Seguia só também...sempre pela carretera...as vezes nos encontrávamos nos pueblos, ele falava pouco inglês e eu também...mas foi uma sintonia tão boa...que ele se tornou uma pessoa muito especial pra mim...o seu vigor já com sua idade, me faziam sentir feliz...me veio um sentimento bom, de querer ser como ele quando tivesse a sua idade...

Iria ficar na cidade Rabanal del Camino, mas cheguei cedo à cidade e resolvi seguir e chegar até a Cruz de Ferro neste mesmo dia....subi, cheguei a cruz por volta das 18hs. Chegar ali foi bem especial... deixei minha pedrinha (que trouxe do Brasil comigo)...meus desejos...minha bandeirinha do Brasil...e agradeci....agradeci e agradeci. Sou uma pessoa muito abençoada....era a metade da minha viagem e tudo tinha transcorrido bem...pessoas especiais, lugares lindo...e um sentimento de gratidão infinito!!!!

Dificuldade do dia: Depois da cruz fui procurar lugar pra ficar nos primeiros povoados que seguiam...passei por 3 e nenhum deles com vaga...me preocupei, estava ficando tarde, quase oito da noite, mas ainda estava claro...a minha sorte foi que da cruz em diante era praticamente um descidão que só...consegui a última vaga do albergue em Molinaseca...ufa...sorte danada... dia cansativo, mas muito especial!!!

Resumo do dia: 
Distância Percorrida: 116 km
Hospedagem: Albergue Santa Marina . Adorei, o dono super simpático!!!
Detalhes do percurso:
http://connect.garmin.com/activity/386814518
http://connect.garmin.com/activity/386814298
http://connect.garmin.com/activity/386814150













Mucho amor por el camino!! 




  • 8º Dia: Molinaseca a Vega de Valcarce

Deus guia muito meus passos....ontem pedalei pra baralho e hoje, acordei me achando uma princesa, fui a última a sair do albergue, depois, fui à cidade, fiz como sempre fazia, comprei frutas, água, tomei um café igualmente de princesa e segui....mal sabendo o que me esperava alí na frente...

Ponferrada é uma cidade bem interessante, castelo, igrejas...tudo muito lindo. Fiz aquele tour e segui meu caminho...tranquilona porque hoje seriam apenas 50 km pra pedalar...

Eis que quando saída desta cidade, descendo um meio fio, tive uma surpresa nada boa...um barulho e o que eu temia e não queria, infelizmente aconteceu. O bendito parafuso se rompeu de novo, tudo de novo, igual tinha acontecido no Brasil. Lá estava ele, partido, dentro do quadro. Olhei aquilo, sentei e chorei...sim chorei...fiquei triste, mas ao mesmo tempo pensei que graças a Deus que eu estava numa cidade relativamente grande (em vista dos lugares que havia passado) e que sim, eu iria encontrar solução pro meu caso...

Estava em frente à uma unidade de Cruz Vermelha...fui lá, com cara de choro pedir ajuda...o senhor muito simpático  perguntou o que havia contecido, expliquei, ele me deu o endereço de uma loja de bike. Pedi ainda pra deixar meu alforge lá, eram umas dez da manhã...segui de volta pra cidade em busca de ajuda.

Neste momento, chorava, passava um filme na cabeça, tinha medo de não conseguir solução, mas o medo passou e veio a coragem. Precisava ser forte...fui até a loja de bike, o sr foi olhar o que tinha acontecido e mais uma surpresa...o bagageiro simplesmente quebra nas mãos dele. Na verdade ele deveria estar trincado desde que aconteceu o mesmo no Brasil...aí sim, chorei...ele viu no meu rosto o desespero e tentou me ajudar. Me indicou um soldador, que consertava peças de caminhão, e que soldava peças de alumínio. Disse que se tivesse solução só ele poderia me ajudar.

Fui em busca de ajuda, rezando, pedindo a Deus e a todos os santos para que tudo desse certo. Tinha que ter uma solução...cheguei ao soldador e o dono da oficina inicialmente me desanimou, mas depois, conversando com o soldador, o Fernando (o anjo do dia) vi que tudo ia dar certo.

Expliquei a ele como retiramos o parafuso do quadro, quando o mesmo aconteceu no Brasil e ele fez tal qual...nessa hora chorei de alegria...e depois ele soldou o bagageiro e ainda reforçou o outro lado que não havia quebrado...Eu tive vontade abraçar (e claro que fiz isso, acho até que ele achou estranho) e agradecer imensamente pelo que ele tinha feito...acho que ele não tinha noção do bem que tava me fazendo e eu tentei agradecer com palavras, com o olhar, com o abraço e com pensamentos positivos pra aquele ser iluminado por tudo que ele havia feito por mim.

Saí de lá chorando...de felicidade!!!Passei na loja de bike, agradeci o senhor e mostrei que tudo tinha se resolvido...voltei pra Cruz vermelha...peguei o alforge, agradeci imensamente ao senhor que me ajudou...foram anjos no meu dia...saí de Ponferrada agradecendo imensamente por este dia, pela dificuldade, mas principalmente por todos os anjos que Deus colocou no meu caminho.

Uma amiga havia me dito e eu, neste dia entendi, ela disse: "Ada no te preocupes...no caminho tudo se resolve!!!" E foi assim mesmo...

Neste dia ainda conheci o Miguel e a Idóia... espanhóis bem legais ... ficamos no mesmo albergue neste dia e seguimos juntos no dia seguinte!!!

Resumo do dia: 
Distância Percorrida: 60  km
Hospedagem: Albergue Sarracin
Detalhes do percurso:
http://connect.garmin.com/activity/386814955
http://connect.garmin.com/activity/386814689
http://connect.garmin.com/activity/386814792




 Fernando salvando a Branquinha Fever...o Anjo do dia!

Placa motivacional ...quase lá!!!



Adoro esta foto, este menino brincando no alto dessa árvore é muito lindo!

  • 9 º Dia: Vega de Valcarce a Portomarin

O dia seria duro, o Cebreiro nos esperava. Acordamos cedo e as oito em ponto começamos a subir. Eu optei por segui pela trilha, mesmo tendo a informação de que ciclistas deveriam seguir pelo asfalto, eu e o Miguel fomos assim mesmo. A Idóia combinou de encontrar a gente lá em cima.
A subida é dura, muitas vezes tem que empurrar, mas vale. A vista é linda de morrer.
O Cebreiro um lugar de paz imensa. Deu vontade de ficar lá. Quem tiver oportunidade durma lá em cima. Deve ser muito bom dormir e acordar naquele lugar.

Depois do Cebreiro ainda teria outra subida forte a do Alto do Pollo. Achei esse dia bem duro, acho que mais até que o primeiro dia. Depois de tanto subir vieram descidas deliciosas e depois subidinhas chatinhas.

No fim da tarde o tempo fechou...tive um pouco de medo, estava sozinha (meus amigos ficaram numa cidade antes), pensei em parar em algum povoado, mas ... criei coragem e fui...peguei chuva, tempo fechado, mas cheguei em Portomarin.

No albergue muitos brasileiros bem figuras. Encontrei os amigos portugueses também. Foi o primeiro albergue público que fiquei. Era bem grande. Dei sorte que meu quarto só tinham 6 pessoas.

Resumo do dia: 
Distância Percorrida: 74 km
Detalhes do percurso:
http://connect.garmin.com/activity/386815301


Não adianta fazer cara feia...dále subida!!!




O artista!




Um pratinho bem pequeno depois de um dia de pedal! (minha mãe não acredita até hoje que comia um prato assim todo dia!!!rss)




  • 10 º Dia: Portomarin a O Pedrouzo

O dia seria tranquilo. Acordei pensando que já tava acabando...como passaram rápido estes dias. No dia seguinte estaria em Santiago. Quem diria...eu já havia percorrido mais de 700km. Isso pra mim era uma conquista imensa...

Pela manhã encontrei o Léo, aquele sr. alemão. Tomamos café juntos, conversamos...e seguimos...

Foi um dia de muita reflexão...tava "acabando"...muita coisa tinha acontecido...respirei fundo  pedalei e pedalei...

Em O Pedrouzo a surpresa...cidade cheia...primeiro albergue cheio, segundo, cheio, terceiro, cheio...ufa...na quarta tentativa arrematei a última vaga do albergue. Que sorte. Por ser uma cidade bem próxima a Santiago (apenas 20km) muitos peregrinos a pé param lá...por pouco não ficava sem teto. Mas consegui. O albergue bom, novo, com café da manhã...bem legal!


Resumo do dia: 
Distância Percorrida: 69 km
Hospedagem: Albergue Cruceiro do Pedrouzo
Detalhes do percurso:
http://connect.garmin.com/activity/386815753







Brasileiros pelo caminho...



Esta sim é motivacional...faltavam apenas 50km!

  • 11 º Dia: O Pedrouzo a Santiago de Compostela

Acordei e fui tomar café. A surpresa...lá fora uma tempestade. O mundo caindo mesmo. Fiz uma horinha, esperei clarear um pouco, arranjei uma capa de chuva (leia-se sacos de lixo...rss) pro alforge e pra mim, tomei coragem e fui assim mesmo...

Este seria um dia tranquilo, decidi parar a 20km de Santiago justamente porque queria chegar cedo a cidade, ver tudo, ir a famosa catedral, assistir a tao falada missa dos peregrinos, pegar o certificado...

Fiz tudo dessa forma, antes das onze da manhã já estava na praça da catedral de santiago. Fiquei emocionada de chegar alí...agora compreendia um pouco de toda grandiosidade do caminho, que na verdade não está no caminho em si, mas em tudo que se vive...na prática do desapego, nas pessoas que se conhece, nas dificuldades, nas alegrias, em tudo...nossa um turbilhão de sentimentos e emoções.

Peguei o meu certificado e fui assistir a missa, sim, do jeito que havia chegado, suja, molhada...afinal que que tem, todo mundo ia assim e assim eu fui. Me sentei num canto da igreja e enquanto o padre falava, sobre o caminho, sobre as vivências, sobre as pessoas, sobre a história de tudo, um filme começou a passar na minha cabeça de tudo que havia vivenciado nestes 11 dias...é difícil descrever o que senti neste momento, mas foi algo bem profundo....havia em mim um sentimento de gratidão imenso, só tinha vontade de agradecer a Deus por estar alí e a todas as pessoas que de alguma forma me incentivaram a ir, mesmo só, a enfrentar este caminho.

Pra minha alegria, encontrei os amigos colombianos ao fim da missa. Foi muito bom poder abraçá-los e agradecer a eles pela acolhida e amizade nestes dias...ufa...encontrei também o Sr. Léo e dei um abraço forte nele e com as poucas palavras que conseguia pronunciar em inglês tentei agradecê-lo por tê-lo conhecido e tentei dizer que ele foi uma pessoa muito especial no "meu caminho".

Queria ter encontrado as outras pessoas especiais do caminho pra agradecer por tudo, mas fiz isso em pensamento desejando que depois de toda essa experiência a vida delas se tornasse melhor de alguma forma...

Fiquei em Santiago por mais um dia (de chuva) e depois segui sentido a Finisterre para de fato completar o "Caminho".

Resumo do dia: 
Distância Percorrida: 20 km
Hospedagem: Hospedaje de San Roque - Tel: +34.626.754.480/664.242.028 
Detalhes do percurso:
http://connect.garmin.com/activity/386815907

Pronta, de capa de chuva e tudo...rss...




 Despedida dos amigos colombianos!






O Léo...bom demais te reencontrar!!!

Comentários

  1. Muito emocionante ler, mesmo que seja a versão "resumida e prática" da sua viagem! Nunca pensei em fazer o Caminho de Santiago mas ler tudo isso me deu uma vontadeeeee!!
    A parte de "seguir sua própria viagem" é muito profunda. Nossa! Tudo de bom!
    Quero saber mais sobre a viagem, a parte emocional!! Estou muito feliz de ter encontrado o seu blog!
    Gratidão novamente!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Tatiana,

      que bom que gostou do blog. O objetivo é mesmo compartilhar e trocar experiências.
      Tentei ser objetiva mas realmente não tem como...muita emoção nessa viagem...rss...
      Acho que pra mim a viagem foi tão boa justamente por ter ido de coração aberto, sem muitas expectativas...tudo que aconteceu teve seu momento e seu porque.
      Recomendo fazer e mais ainda, recomendo fazer só...você vai se entregar bem mais ao caminho, vai estar mais aberta a conhecer pessoas, a ajudar e também a ser ajudada.
      Bom, quando resolver ir pode contar comigo no que eu puder ajudar...nessa e em outras viagens.
      Bjo grande!

      Excluir
  2. Adinha,
    Encontrei um erro de digitação na página:
    LOGÍSTICA DE IDA. Não seria LOGÍSTICA DA ADA ?!

    :0)

    ResponderExcluir
  3. Olá, Guerrera del Camino,
    Enfim, descobri o seu blog. Belas fotos, bons momentos e belo relato! Li todo ele. Bom de ler. E a medida que fui lendo, fui imaginando os seus momentos (de curtição, de aperto e de aprendizado) em todo aquele cenário. Pegou bastante chuva por lá nessa data, heim?! Quando fui, choveu, mas não tanto. O Pirineus estava sob céu azul e restava ainda alguma neve escorrendo. Muito bacana e rico o seu relato. Muitas das suas emoções, me fizeram relembrar também as minhas. Deu saudade dos momentos por lá. E em Santiago, lembra daquela flauta escocesa constante lá naquele arco próximo a Catedral? Gostei muito daquele som de montanhas! Os músicos ficam se revezando.
    Então, PARABÉNS aí, menina, pela sua vivência e experiência que teve no Camino! E continuemos na boa companhia das nossas bikes e dos amigos do pedal.
    E olha, mandei um convite pra vc. Estamos formando um grupo para a Escócia em junho de 2014. Será muito legal ter a sua companhia.
    Bjão e abração,
    Arquimedes (Acqua).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acqua, que bom que me achou aqui...rss...tinha que ter te mandado antes, mas como achei que a gente ia se encontrar pra trocar figurinhas pessoalmente, acabei nem mandando. rss
      Muitas emoções mesmo neste caminho...nem pensava que seria tanto!!! Essas nossas meninas companheiras nos mostram cada coisa linda deste mundão né?
      Bom, vi o convite pro pedal...valeu o convite!!!
      Bjo e até breve!!!

      Excluir
  4. Ai, Ada, tô lendo aqui chorando já... muito emocionante! E você sabe que adoro suas fotos, né? Queria ver TODAS! beijos, saudades!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eriquita agora sei q é você... espero q um dia vc coloque sua magrelinha linda pra rodar também! Bjo e saudade!

      Excluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Sujou...pintou cachorro na área...o que fazer???

Documentário: "Um ano entre Kouru e Ushuaia.

Aplicativos úteis em viagens de bicicleta!